Sadhana do Mahamudra

Thangkas/dorje_trolo_225x190.jpg
Data: quinta 16 novembro 2017 (19:30 -20:30)
Coordenador : Felipe de Amorim
Informações : Felipe de Amorim
Importante prática budista para vencer obstáculos - recitada na época de lua cheia e de lua nova. Prática aberta a todos, sejam iniciantes ou alunos avançados.

 

Contribuição sugerida: R$ 15

Este sadhana é um dos legados mais importantes que Chögyam Trungpa Rinpoche nos deixou. Ele é recitado regularmente em todos os Centros Shambhala ao redor do mundo como prática para sobrepujar obstáculos nas práticas individuais e na vida.

O Sadhana de Mahamudra é um texto para uma prática de meditação tântrica aberta a toda a comunidade Shambhala e a qual se realiza nos dias de lua nova e cheia do calendário lunar. A prática consiste de meditação e cânticos e dura cerca de uma hora. 'Sadhana' pode ser traduzido por 'meio de realização'. O Sadhana de Mahamudra foi escrito em 1968 por Trungpa Rinpoche em Taktsang, Butão, numa caverna onde o grande santo tibetano Padmasambhava meditava - um local muito reverenciado pelo budismo. Este sadhana é o resultado da exposição de Trungpa Rinpoche tanto ao materialismo espiritual do Ocidente quanto à sabedoria da abordagem tradicional budista da realidade. O Sadhana de Mahamudra foi considerado um 'terma', que significa 'tesouro' em tibetano, e diz respeito à literatura religiosa clássica que se diz ter sido preservada em esconderijos para ser recuperada num momento em que o mundo precisasse.

Como um sadhana que reune a tradição mahamudra Kagyu de Karma Pakshi e a tradição ati Nyingma de Dorje Trolo, ela é um 'upaya' (meio hábil) sem igual, que se manifesta de modo direto para que superemos os três senhores do materialismo da nossa era atual. Essencialmente, seu ensinamento é que a própria natureza da prática corta pela raiz qualquer ideia de materialismo espiritual.




Evento gratuito mas sua contribuição é muito bem-vinda.

Contribuição sugerida: R$ 15