Dia de Shambhala

Brasil/Ano_Novo_2020.png
Data:
segunda 24 fevereiro 2020 (17:00 -20:00)
Local:
Main Meditation Hall
Coordenador : Laszlo Kis
Informações : Laszlo Kis
O Dia de Shambhala é a comemoração do Ano Novo tibetano! Festa móvel, calculada de acordo com o calendário no Tibet. Neste dia celebramos a riqueza do patrimônio espiritual e cultural de Shambhala.

O Dia de Shambhala é a comemoração do Ano Novo tibetano! Festa móvel, calculada de acordo com o calendário no Tibet. Neste dia celebramos a riqueza do patrimônio espiritual e cultural de Shambhala através de uma prática especial de aniversário e de uma pequena comemoração para o convívio e troca entre as pessoas da nossa comunidade, essa jóia especial que é o sangha. Este no de 2020 será regido pelo Rato de Metal, arquétipo do horóscopo chinês associado ao uso estratégico da inteligência e à novos começos, já que é o signo que abre o horóscopo chinês. Há um ciclo energético dos signos que se repete a cada 12 anos, 2019 encerrou um ciclo que foi representado pelo Javali, e em 2020 um novo ciclo se inicia com as características do signo do Rato.

 

Esta prática e comemoração é aberta à toda comunidade, venha celebrar com a gente!

 

A quem se destina:

Evento aberto a toda comunidade Shambhala.

 

Observações:
- No final do evento, vamos compartilhar de uma mesa de petiscos, se sentir vontade traga alguma bebida ou comida para contribuir para esta celebração.

- Nesta noite de segunda-feira, o Dia de Shambhala acontecerá dentro da programação de um retiro de Niynthum que estará acontecendo no Centro Shambhala.

 

Curiosidades sobre o Calendário Tibetano

O Calendário Tibetano é lunisolar, ou seja, é composto de 12 ou 13 meses lunares (cada um iniciando e terminando com uma lua nova), e a cada 2 ou 3 anos um 13o mês é adicionado. Assim, na média, o ano tibetano é muito similar ao ano solar. O Calendário Tibetano é único, diferente do calendário da China e da Índia, pois é também baseado no Tantra de Kalachakra1. O primeiro ano do calendário tibetano é 1027, ano em que o Tantra de Kalachakra foi traduzido do sânscrito para o tibetano.

Os anos tibetanos são regidos por 1 dentre 5 elementos (fogo, terra, metal, água, madeira) e por 1 dentre 12 animais (coelho, dragão, cobra, cavalo, carneiro, macaco, pássaro, cachorro, porco, rato, boi, tigre). O ciclo completo de 60 anos, dos 5 elementos e 12 animais, é chamado Rab-byung. Estamos agora no 17o Rab-byung, o qual começou em 1987. É importante não misturar o calendário chinês com o tibetano pois eles iniciam em datas diferentes e os meses tem duração diferente. Na verdade, o calendário tibetano é uma mistura de várias sistemas. O sistema de animais iniciou por volta de 600 DC sob influência de uma princesa chinesa. O sistema de ciclos de 60 anos, misturando elementais e animais, apareceu no séc X e o sistema do Tantra de Kalachakra (usado em astronomia e astrologia) no séc XI 1.

 

O Losar, ano novo tibetano, no entanto, é celebrado no primeiro dia do primeiro mês do calendário lunar tibetano, mês este chamado de Hor-zla, ou "mês da Mongolia". É chamado assim pois celebra a vitória de Gengiskhan sobre a tribos chinesas.

A passagem de ano é tradicionalmente celebrada como gratidão e união e os 10 dias que antecedem o grande dia são igualmente importantes pois são preparatórios (limpezas, oferendas, etc).