Livros Recomendados

Livros em português, recomendados pelo Centro de Meditação Shambhala de São Paulo. Alguns livros estão esgotados nas livrarias e editoras. Todos os livros estão disponíveis na Biblioteca Simon Luna no Centro Shambhala de São Paulo. Para livros em inglês, também disponiveis na nossa biblioteca, clique AQUI.

ki ki so so 

Chögyam Trungpa

Mestre de meditação, professor e artista, foi o fundador da Universidade Naropa e autor de diversos livros sobre o budismo e o caminho da meditação. Leia mais sobre Chögyam Trungpa…

capa do livro "Shambhala: a trilha sagrada do guerreiro" Shambhala: a trilha sagrada do guerreiro

Tradução de Denise Pegorim. Supervisão técnica e notas de Lincoln Berkley. São Paulo: Editora Cultrix, 2ª Edição – 1996, 197 pág.  – ISBN: 8531603552 – ISBN-13: 9788531603556 – Leia o capítulo 2: A descoberta da bondade fundamental. –  Leia o livro em inglês, formato PDF.

Neste guia prático para uma vida iluminada, Chögyam Trungpa oferece uma visão inspiradora de nosso tempo, baseada na figura do guerreiro sagrado. Antigamente, o guerreiro aprendia a dominar os desafios da vida, nas batalhas e fora delas. Ele adquiria um senso de liberdade pessoal e poder ― não através da violência ou da agressão, mas pela gentileza, coragem e autoconhecimento. O samurai japonês, os reis guerreiros do Tibete, os cavaleiros medievais da Europa e os bravos das tribos nativos da América do Norte são alguns exemplos dessa tradição universal de sabedoria. Com este livro, o caminho do guerreiro é aberto a homens e mulheres contemporâneos que estejam em busca de autodomínio e maior realização pessoal. Ao interpretar a jornada do guerreiro em termos atuais, Trungpa discute habilidades como sincronizar a mente e o corpo, superar os padrões habituais de comportamento, relaxar dentro da disciplina, enfrentar o mundo com abertura e destemor, e encontrar a dimensão sagrada da vida diária. Acima de tudo, Trungpa mostra que, na descoberta da bondade fundamental da vida humana, o guerreiro aprende a irradiar aquela bondade para o mundo, em benefício da paz e da sanidade dos outros. Os ensinamentos Shambhala ― assim denominados como referência a um reino lendário nos Himalaias, em que a prosperidade e a felicidade imperavam ― apontam para o potencial de uma conduta iluminada que existe dentro de cada ser humano. “A visão fundamental de Shambhala”, escreve Trungpa, “é que neste mundo, tal como ele é, podemos encontrar uma vida humana boa e significativa que servirá também aos outros. Essa é nossa riqueza.”

ki ki so so 

capa do livro "Além do materialismo espiritual" Além do materialismo espiritual

Tradução de Octavio Mendes Cajado. Revisão de conteúdo e forma a cargo do Grupo de Estudos do Dharma de São Paulo, Lincoln Berkley, coordenador. São Paulo: Editora Cultrix, 1986. ISBN: 8531600057 – ISBN-13: 9788531600050 –  Leia ou baixe o livro na íntegra em PDF

“Muito pior do que os obstáculos e as difíceis circunstâncias externas que enfrentamos na busca da verdade espiritual é o inimigo que se carrega “em casa”, o senso de ego. O grande lama budista tibetano Chögyam Trungpa Rinpoche (1939-1987), que viveu nos Estados Unidos nos Anos 70 e foi um dos mestres recentes que compreendeu bem os problemas do mundo ocidental, entende disso, e escreveu, no belo livro “Além do Materialismo Espiritual” (Cultrix), um dos mais esclarecedores textos sobre os problemas que nosso ego cria no caminho para a Verdade. “O ego é capaz de converter tudo para seu uso próprio, inclusive a espiritualidade“, diz ele, citando que mesmo a meditação pode ser usada em favor do ego e contra o autêntico crescimento. “Drogas, ioga, orações, meditação, transes, várias psicoterapias — tudo pode ser usado com essa finalidade”, diz ele. Trazendo metáforas ricas como a dos “Três Senhores do Materialismo” e desmistificando idéias errôneas a respeito da meditação, Chögyam Trungpa ataca os tantas ramificações desvirtuadas que tomamos e é um dos grandes aliados que temos para não nos iludirmos com nossas idéias e comportamentos, e assim nos ajuda a manter a sanidade e a sinceridade no caminho.” (Nando Pereira1)

ki ki so so 

capa do livro "Meditação na ação" - Chogyam Trungpa - Disponivel na Biblioteca Simon Luna do Centro Shambhala de Meditação de São PauloMeditação na ação

Tradução de Cláudia Gerpe Duarte. São Paulo: Editora Cultrix, s.d.

“A busca pela compreensão do funcionamento da mente humana é tão antiga quanto a humanidade. A prática da meditação proporciona um meio intuitivo e simples, embora profundo, de obter essa compreensão mediante a observação do nosso mundo e de nós mesmos. Sentar em meditação e permitir que imagens mentais, conceitos e emoções surjam para desaparecer em seguida leva à verdadeira descoberta da formação da nossa psique. Dessa maneira, o mundo dos pensamentos e o mundo da ação se interligam, possibilitando a observação direta da nossa experiência, sem disfarces conceituais. Se a prática da meditação for encarada como uma atividade puramente religiosa, ficaremos perdidos. Chamar alguma coisa de “religiosa” implica a existência de uma outra realidade “leiga”, separada. Contudo, na prática da meditação, o sagrado e o profano se confundem; nossa experiência é vista, antes de mais nada, como a base de tudo o que é real. A opinião de Chögyam Trungpa sobre a meditação é diretamente significativa para a nossa vida no “aqui-e-agora” da nossa experiência. Sua introdução à meditação e sua aplicação ao nosso mundo cotidiano de ação mostram-nos a possibilidade de viver saudavelmente as nossas vidas, compreendendo-nos a nós mesmos e demonstrando compaixão para com os demais.” (2)

ki ki so so 

capa do livro "O mito da liberdade" - Chogyam Trungpa - Disponivel na Biblioteca do Centro Shambhala de Meditação de São Paulo O mito da liberdade e o caminho da meditação

Tradução de Aníbal Mari. Revisão de conteúdo e forma a cargo do Grupo de Estudos do Dharma de São Paulo. São Paulo: Editora Cultrix, 1987.

Em geral, a liberdade é imaginada como a habilidade de conquistar objetivos e de satisfazer desejos. No entanto, o que dizer sobre a origem desses objetivos e desejos? Se eles surgem da ignorância, de padrões conhecidos e de emoções negativas – em outras palavras, de elementos psicologicamente destrutivos que, na verdade, nos escravizam – será a liberdade de ir ao seu encalço real ou tratasse apenas de um mito?

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Muito além do divã ocidental: uma abordagem budista da psicologia" - Chogyam Trungpa Muito além do divã ocidental: uma abordagem budista da psicologia

Tradução de Paulo Salles. Revisão técnica de Comissão de Tradução — Shambhala Brasil. São Paulo: Editora Cultrix, 2008. ISBN: 8531610125 – ISBN-13: 9788531610127 – 240 pág.

Esta é uma coletânea de textos do mestre tibetano de meditação budista Chögyam Trungpa Rinpoche. Apresenta as idéias sobre meditação, mente e psicologia que o autor compartilhou com psicólogos, psicoterapeutas e estudantes ocidentais de meditação budista nos Estados Unidos nas décadas de 1970 e 1980. Em essência, é um livro sobre como todos podemos trabalhar conosco e com os outros de modo sadio e gentil. Além disso, ao discutir a psicologia budista, o autor trata também dos problemas e necessidades específicos das pessoas com distúrbios psicológicos profundos. Responde também às indagações de psicoterapeutas e outros profissionais da saúde mental que trabalham com os estados mentais de seus clientes e seu bem-estar físico. Embora o autor reconheça a necessidade, para muitas pessoas, de assistência psicológica profissional e a importância, para alguns pacientes, de proporcionar ambientes e comunidades de terapia adequados, a premissa deste livro é de que todos os seres humanos têm dentro de si os recursos para curar a si mesmos num nível profundo. Trungpa Rinpoche proclama repetidamente que todos nós nascemos com uma sanidade essencial, que ele descreve também como bondade, saúde e vigilância essenciais. Ajudar a nós mesmos e aos outros a entrar em contato com essa base de sanidade e saúde é, ao mesmo tempo, o caminho e a meta da psicologia budista apresentada neste livro.

ki ki so so 

ki ki so so 

 

O livro tibetano dos mortos - comentado por Chogyam TrungpaO livro tibetano dos mortos

Tradução: Murillo Nunes de Azevedo. Editora Rocco.  ISBN: 8532512968 – ISBN-13: 9788532512963 – 232 pág.

Esta é uma edição diferenciada do conhecido Livro Tibetano dos Mortos pois contém os comentários de Chögyam Trungpa Rinpoche e é em tamanho de “livro de bolso”. Chögyam Trungpa recebeu a transmissão destes escritos quando tinha apenas 8 anos. Em seguida, também foi muito treinado pelos seus tutores no sentido de saber conviver com pessoas que estão morrendo. Conseqüentemente, a partir dali, ele começou a visitar pessoas mortas ou que estavam para morrer cerca de quatro vezes por semana. O livro é uma tentativa adicional para fazer com que seus ensinamentos sejam aplicáveis também no Ocidente. A obra trata do espaço que contém o nascimento e a morte, ou seja, o meio ambiente no qual vivemos todas as experiências. É esse ambiente que inspira o livro, criado pela civilização pré-budista bön do Tibete, para indicar como tratar a força psíquica deixada para trás por uma pessoa morta. Há no livro preces antigas e poderosas para vivos e mortos contra o medo, para pedir socorro aos budas, para se libertar, que fazem parte das instruções que devem ser dadas à pessoa que está morrendo ou a que já morreu, mas que trata, na essência, da vida.

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "SORRIA PARA O MEDO - O DESPERTAR DO AUTÊNTICO CORAÇÃO DA CORAGEM" de Chögyam Trungpa

Sorria para o medo – o despertar do autêntico coração da coragem

Tradução de Oddone Marsiaj. Editora Gryphus  ISBN: 978-85-60610-96-9, Publicação: 2013 , 161 páginas. Disponivel em eBook.

Muitos de nós, sem sequer percebermos, somos dominados pelo medo. Podemos ter consciência de alguns de nossos medos — talvez tenhamos medo de falar em público, de passar por dificuldades financeiras, ou de perder o ser amado. Mas neste livro o mestre de meditação Chögyam Trungpa mostra-nos que a maioria de nós sofre com um tipo de medo muito mais generalizado: o medo de nós mesmos. Temos vergonha ou receio de olhar para nossos sentimentos ou reconhecer nossos padrões de pensamento e de comportamento; não queremos encarar a realidade de nossa experiência cotidiana. É esse medo que nos mantém presos a ciclos de sofrimento, desespero e dor.

Chögyam Trungpa oferece-nos uma perspectiva de ir além do medo para descobrir a coragem, a confiança e o prazer de viver inatos que estão no âmago de nosso ser. Com base na tradição de Shambhala e nos ensinamentos budistas, ele explica como cada um de nós pode tornar-se um guerreiro espiritual: uma pessoa que enfrenta cada momento da vida com abertura e destemor. “A definição básica de coragem é não ter medo de quem você é” afirma Chögyam Trungpa.

Em linguagem atual, acessível e surpreendentemente direta, este livro analisa:
• como a prática da meditação sentada pode ajudar-nos a descobrir a nossa coragem e a nossa confiança inerentes
• como o medo e a vergonha em relação a nós mesmos nos mantêm presos em ciclos de sofrimento
• a sabedoria da bondade amorosa e da não-agressividade
• como a verdadeira invencibilidade depende de tornar-se mais aberto e vulnerável

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do Livro: "Trabalho, Sexo, Dinheiro"- Chógyam TrungpaTrabalho, Sexo, Dinheiro

Tradução de Oddone Marsiaj. Editora Cultrix, 1ª edição 2014.  Leia o primeiro capítulo AQUI.

Trabalho, sexo e dinheiro: essas são as principais coisas que instintivamente procuramos na vida para nossa satisfação, ainda que a vida quase nunca as forneça. Exatamente por isso vale a pena examinar nossa relação com esses temas, diz Chögyam Trungpa. Ele nos ensina como demolir a barreira artificial, que construímos para nós mesmos, entre nossa prática espiritual e esses aspectos inevitáveis da vida, a fim de revelar sua sacralidade inerente, aprender o que eles têm para nos ensinar e fazer escolhas sábias quando eles se manifestam em nossa vida, em nosso trabalho e em nossos relacionamentos.

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro 4 NOBRES VERDADES DO BUDISMO E O CAMINHO DA LIBERTAÇÃO - Chogyam TrungpaAs 4 nobres verdades do Budismo e o caminho da libertação

Editora Cultrix, ISBN: 978-85-316-1225-1 , 1ª edição 2013 – 1ª reimpressão 2014. Leia o primeiro capítulo AQUI.

Chögyam Trungpa faz uma análise profunda das Quatro Nobres Verdades, enfatizando sua profunda relevância, não apenas como inspiração no início da jornada pelo Budismo, mas também para cada momento de nossa vida, mostrando como podemos unir a compreensão intelectual dos ensinamentos com a sua aplicação prática, a fim de evitar o sofrimento. Esta é uma introdução ideal às Quatro Nobres Verdades, tanto para o iniciante como para o praticante experiente em busca de uma compreensão mais profunda da filosofia budista.

ki ki so so 

ki ki so so 

ki ki so so 

Sakyong Mipham

Formado em filosofia, meditação e ritual budistas, o Sakyong foi educado em ambas as tradições, a oriental e a ocidental. Todos os anos visita a Índia, onde entra em retiro e se dedica aos estudos e às práticas. Também ensina em centros Shambhala ao redor do mundo. Leia Mais sobre Sakyong Mipham…

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Fazer da mente uma aliada" - Sakyong MiphamFazer da mente uma aliada

Tradução de Oddone Marsiaj. Revisão técnica da Comissão de Tradução — Shambhala Brasil. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2005. ISBN: 8576651130 – ISBN-13: 9788576651130 – 215 pág. Leia o Sumário e o Prefácio.

Pode a mente ser nossa maior inimiga, sem que tenhamos consciência disso? E se for, como transformá-la em aliada? O mestre Sakyong Mipham Rinpoche, líder da linhagem Shambhala do budismo tibetano, ensina com precisão e elegância como a meditação pode nos ajudar a entrar em contato com a força natural da mente, além de explicar, com muitos exemplos, como esse estado de calma pode se transformar na base de um outro olhar para nossos próprios conflitos. O grande mérito de Fazer da mente uma aliada é que o Sakyong — nascido na Índia em 1962, mas criado nos Estados Unidos e no Canadá — conhece muito bem as maiores dificuldades que nós, ocidentais, encontramos no caminho da meditação. Com humor e elegância, o Sakyong Mipham nos conduz ao universo da pacificação da mente, ensinando-nos até mesmo a enfrentar problemas comuns que temos ao meditar, como dores nas costas ou a falta de disciplina. O autor também nos apresenta a prática da contemplação, que inclui reflexões sobre temas como a preciosidade da vida e a inevitabilidade do envelhecimento e da morte. Ao lado da meditação, essa prática nos ensina a colocar nossos problemas e conflitos em perspectiva. Essa mente alegre e vivaz, fortalecida pelas práticas da meditação e da contemplação, torna-se, então, uma grande aliada para resolvermos nossos problemas. Com a orientação do Sakyong Mipham, temos um mapa preciso e detalhado de como chegar até esse estado cristalino de harmonia e estabilidade.

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Governe seu mundo" - Sakyong Mipham RinpocheGoverne seu mundo: estratégias antigas para a vida moderna

Tradução de Newton Roberval Eichemberg. Revisão técnica: Shambhala Brasil — Comissão de Tradução. São Paulo: Martins Fontes, 2008. ISBN 8578270421 (232 páginas). Leia o Sumário e a Introdução.

“A maioria de nós vive em meio a uma neblina — às vezes ajudando outras pessoas, às vezes ajudando a nós mesmos; às vezes felizes, às vezes tristes. Não nos sentimos no controle de nossa própria vida. Os antigos ensinamentos de Shambhala sobre a governança mostram que todos nós temos a capacidade de governar nosso mundo e viver com confiança. Para isso, precisamos usar nossa vida diária para desenvolver a força em vez da agressividade, e agir com sabedoria e compaixão. Isso pode parecer difícil, mas, quando começamos a mesclar essa antiga sabedoria de governar à nossa vida cotidiana, alcançamos sucesso espiritual e mundano. Não precisamos abandonar nossa vida e nos tornar ascetas ou monges para conquistar a confiança e obter esse sucesso. Podemos viver no mundo como governantes, independentemente do que estamos fazendo.”

ki ki so so 

Pema Chödrön

capa do livro: "Quando tudo se desfaz: orientação para tempos difíceis" - Pema ChodronQuando tudo se desfaz: orientação para tempos difíceis

Tradução de Helenice Gouvêa. Revisão pelo Grupo de Meditação Shambhala de São Paulo, Lincoln Berkley, coordenador. Rio de Janeiro: Editora Gryphus, 1999. ISBN: 8585469757 – ISBN-13: 9788585469757 – 212 pág. Disponivel em eBook .

A felicidade está ao nosso alcance, e no entanto tantas vezes a perdemos de vista, ironicamente na tentativa de evitar dor e sofrimento. O texto radical e compassivo de Pema Chödrön vem de encontro às nossas expectativas e hábitos de conduta ‘quando tudo se desfaz’, e nos confronta com a sabedoria Budista. Existe somente uma atitude em relação ao sofrimento, ensina Pema, e essa atitude é a que caminha na direção das situações difícies com afabilidade e curiosidade, se deixando levar pela insegurança da situação. É ali, no meio do caos, que descobrimos a verdade e o amor indestrutíveis. O livro abrange meios de usar emoções dolorosas para cultivar sabedoria, compaixão e coragem, Maneiras de nos comunicar abertamente e intimamente com outros, Práticas para reverter nossos hábitos negativos, Métodos para lidar com situações caóticas e Meios de cultivar ações sociais enérgicas. (Resenha da Livraria Cultura)

capa do livro "Os lugares que nos assustam" - Pema ChodronOs lugares que nos assustam

Tradução de José Carlos G. Ribeiro. Revisão pelo Grupo de Meditação Shambhala de São Paulo, Oddone Marsiaj, coordenador. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2002. ISBN: 8575420453 – ISBN-13: 9788575420454 – 160 pág.

O Buda disse que nunca estamos longe da iluminação, nem nos momentos em que nos sentimos mais perdidos. Mesmo as pessoas comuns, com seus problemas e neuroses, possuem a sabedoria ao seu alcance. A sabedoria está em ter coração e mente completamente abertos ao sofrimento — nosso e dos outros. É a nossa capacidade inata de amar e de sentir compaixão. Mesmo a pessoa mais cruel possui esse ponto sensível. Mas nós o bloqueamos com comportamentos profundamente enraizados no medo. Erguemos muros de proteção feitos de preconceito, raiva, ânsia, indiferença, inveja e orgulho — sentimentos que nos afastam da felicidade. Em Os lugares que nos assustam, Pema Chödrön nos mostra que é possível transformar emoções negativas em uma vida positiva. Através de conceitos e práticas do budismo tibetano, ela nos conduz numa jornada de autoconhecimento e nos ensina como:

  • despertar nosso coração nobre e nos conectar com os outros;
  • cultivar a compaixão, a bondade amorosa, a alegria e a equanimidade;
  • nos aceitarmos, com nossas falhas e imperfeições, e também aceitarmos os outros;
  • perceber as estratégias do ego que nos fazem resistir à vida como ela é;
  • confrontar os medos, usando nossas reservas naturais de flexibilidade, coragem e sabedoria.

(Resenha publicada originalmente no site da Editora Sextante.)

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Comece onde você está" - Pema ChodronComece onde você está

Tradução de Helenice Gouvêa. Revisão pelo Grupo de Meditação Shambhala de São Paulo, Oddone Marsiaj, coordenador. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2003. ISBN: 8575420755 – ISBN-13: 9788575420751

Este livro visa nos ajudar a entrar em contato com a abertura e suavidade do nosso coração. É um encorajamento para nos permitirmos sentir o que é ser humano e usarmos as dificuldades e problemas da vida para ampliar nosso círculo de compaixão. Nos dias de hoje, em que tantas pessoas procuram ajuda para lidar com seus próprios sentimentos de dor e, ao mesmo tempo, desejam aliviar o sofrimento que vêem ao seu redor, os ensinamentos aqui apresentados, baseados em 59 máximas do budismo tibetano, são especialmente oportunos. Com enorme facilidade de falar para as pessoas comuns como nós, a monja Pema Chödrön nos mostra que, em vez de encarar os aspectos indesejáveis da vida como obstáculos, devemos usá-los como a matéria-prima necessária para despertar uma compaixão genuína e sem artifícios. Não precisamos esperar um momento melhor, quando estivermos mais tranqüilos ou com a cabeça no lugar. Podemos começar no ponto em que estamos. O truque, ensina Pema, é mudar completamente nossa atitude, aprendendo a transformar hábitos maus em bons. O primeiro passo deve ser desenvolver compaixão por nosso próprio sofrimento. Neste livro, a autora repete incansavelmente que a compaixão incondicional em relação a nós mesmos conduz naturalmente à compaixão incondicional pelas outras pessoas. Se estivermos dispostos a ocupar plenamente o lugar que nos pertence e nunca desistir de nós mesmos, seremos capazes de nos colocar no lugar dos outros e nunca desistir deles. A compaixão verdadeira não decorre de querer ajudar os que são menos afortunados, mas de perceber nossa afinidade com todos os outros seres. (Resenha publicada originalmente no site da Editora Sextante.) O livro é um guia para despertar a amizade e a compaixão por nós mesmos, ensinando-nos a usar as dificuldades da vida para desenvolver um autêntico coração compassivo em relação a nós e aos outros. Pema Chödrön mostra que não precisamos esperar pelo momento ideal para iniciar nossa jornada. Podemos “começar onde estamos”, abraçando, em vez de negar, os aspectos dolorosos da vida. Através do trabalho com suas máximas e da prática da meditação, aprendemos a lidar com nossa própria dor e a abrir espaço para a alegria, o bem-estar e a confiança em nossas vidas e ao redor de nós. (Sinopse publicada originalmente no site da Livraria Cultura)

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Sem tempo a perder: um guia útil para o caminho do bodhisattva" - Pema Chodron Sem tempo a perder: um guia útil para o caminho do bodhisattva

Trad. Angela Machado. Rio de Janeiro: Editora Gryphus, 2008. ISBN: 8560610111 – ISBN-13: 9788560610112 – 331 pág.

Há anos os livros de Pema Chödrön têm oferecido aos leitores um novo modo de viver: desenvolver a ausência do medo, a generosidade e a compaixão em todos os aspectos da vida. Neste novo livro, ela convida os leitores a aventurar-se um pouco mais no caminho do “guerreiro bodhisattva”, explicando em profundidade como podemos despertar a suavidade em nosso coração e desenvolver a confiança verdadeira em meio aos desafios da vida diária. Em Sem tempo a perder, Pema Chödrön revela os ensinamentos tradicionais budistas que guiam a sua própria vida: O caminho do bodhisattva (Bodhicharyavatara), um texto escrito no século VIII pelo sábio Shantideva. Esse magnífico trabalho budista é extremamente relevante para a nossa época, ao descrever os passos que podemos dar para cultivar a coragem, a solicitude e a alegria — as chaves para que curemos a nós mesmos e ao nosso mundo atribulado. Pema Chödrön oferece-nos um comentário altamente prático e atraente sobre esse texto essencial, explicando como os seus ensinamentos profundos podem ser aplicados em nossa vida diária. Repleto de histórias esclarecedoras e exercícios práticos, esse guia diferente e acessível mostra que o caminho do bodisatva está aberto para cada um de nós. Pema Chödrön incita-nos a embarcar nesse caminho transformador agora, ao escrever: “Não há tempo a perder — mas não se preocupem, nós conseguiremos”. (Resenha publicada originalmente no site da Editora Gryphus.)

ki ki so so 

ki ki so so 

Livros O Salto - Um Novo Caminho Para Enfrentar as Dificuldades Inevitáveis - Pema ChodronO Salto: um novo caminho para enfrentar dificuldades inevitáveis

Editora Gryphus 2009, título original: “Taking the leap: freeing ourselves from old habits and fears”,  Disponivel em eBook.

Neste livro, a monja budista Pema indica o que as pessoas podem fazer para aceitar o que acontece em suas vidas e, principalmente, se aceitarem melhor, diminuindo assim o estresse, a raiva, o medo e o preconceito, por meio de técnicas que podem ser executadas por qualquer um, mesmo durante o dia a dia. Para se chegar à escolha sábia, como define a monja, é necessário trilhar o caminho que leva à descoberta de três qualidades do ser humano – a inteligência natural, a cordialidade natural e a abertura natural.

ki ki so so 

ki ki so so 

 Shunryu Suzuki

capa do livro "Mente zen, mente de principiante" de Shunryu SuzukiMente zen, mente de principiante

Tradução de Odete Lara. Revisão técnica de Vitor Pomar e Lia Diskin. São Paulo: Editora Palas Athena, 1994. ISBN: 8572420061 ISBN-13: 9788572420068 – 133 pág. Leia ou baixe o livro na íntegra em PDF AQUI ou AQUI .

Este livro tem origem numa série de palestras que o Mestre Zen Shunryu Suzuki fez para um pequeno grupo em Los Altos, Califórnia. Ele participava das práticas de meditação do grupo uma vez por semana e depois respondia a perguntas e procurava encorajar os participantes na prática do Zen, ajudando-os a resolver os problemas da vida. Sua abordagem é informal, e seus exemplos são tirados de acontecimentos comuns e do bom senso. Zen é aqui e agora, diz ele; e pode ser tão significativo para o Ocidente quanto para o Oriente. Contudo, seus ensinamentos e sua prática fundamental são provenientes dos muitos séculos de Zen-budismo e especialmente de Dogen, um dos mais importantes e criativos dentre todos os mestres Zen. Este livro é sobre a prática do Zen como disciplina e caminho viável, sobre postura e respiração, sobre as atitudes e entendimentos básicos que tornam a prática do Zen possível, sobre a não-dualidade, o vazio e a iluminação. Por meio dele começamos a entender o que é realmente o Zen. E acima de tudo, cada página respira a alegria e a simplicidade que tornam possível uma vida livre de condicionamentos. Shunryu Suzuki diz: ‘O mundo é sua própria mágica’- sentimento que permeia o livro todo.

ki ki so so 

ki ki so so 

capa do livro "Nem sempre é assim - praticando o verdadeiro espírito do zen" - Shunryu SuzukiNem sempre é assim 

Editora Francis. 1 º Edição – 2003 – ISBN: 8589373029 – ISBN-13: 9788589373029 – 216 pág.

Shunryu Suzuki apresenta o zen em linguagem fluente, com humor e generosidade. A obra, em vez de prescrever juízos, fortalece a liberdade. No lugar de enfatizar direções e técnicas específicas, o ensinamento contido em ‘Nem sempre é assim’ encoraja a pessoa a enternecer e conhecer o seu verdadeiro coração, além de expressar-se com plenitude, estimulando o leitor a encontrar o seu próprio caminho.

ki ki so so 

ki ki so so 

Autores Diversos

capa do livro "O mundo sagrado - um guia para a arte do guerreiro Shambhala na vida cotidiana" - Jeremy HaywardO mundo sagrado – um guia para a arte do guerreiro Shambhala na vida cotidiana de Jeremy Hayward

Editora Rocco, 1ª Edição – 2002 ISBN: 8532513557 – ISBN-13: 9788532513557  – 316 pág.

Uma jornada mística e divina: essa é a proposta de Jeremy e Karem Hayward em “O mundo sagrado”. O casal estudou com um dos pioneiros na introdução do budismo nos EUA e fundador do Naropa Institute. Eles oferecem nesta obra uma visão prática da arte do guerreiro Shambhala, baseada nas suas experiências pessoais e nas idéias compartilhadas por colegas e alunos.

ki ki so so 

ki ki so so